Sales Oliveira – Capital da Palha


CAPITAL DA PALHA

Prefeitura de Sales Oliveira. Kalá

CAPITAL DA PALHA

O canavial tomou conta das plantações de milho, mas a palha continua sendo o centro da Economia de Sales Oliveira, driblando o desemprego, epidemia no Brasil. Não em Sales.

De maneira formal, ou informal, os palheiros da cidade são nacionalmente conhecidos, garantindo emprego a uma grande parcela da população e proporcionando uma vida digna para quem trabalha neste setor. Os palheiros não enriquecem ninguém, mas garantem uma boa qualidade de vida para seus proprietários e colaboradores.

A palha é uma tradição na cidade, que passa de pai para filho. Num palheiro, o vegetal ganha função. Após a colheita do milho, a palha é retirada, levada para as fabricas, molhada, cortada, dobrada, prensada e selecionada em diversas categorias, de acordo com a qualidade de cada uma. São artesanalmente utilizadas, na produção de cigarros de palha e na embalagem de doces caseiros, dois produtos que nos remetem às lembranças interioranas.

O passo seguinte é a venda. A palha de Sales vai para todo Brasil através de transportadoras, correio ou dos representantes que se encarregam de divulgar e vender o produto do milho. Um palheiro grande, com 30 funcionários, vende, em média, cinco mil pacotes de palha embalada por mês.

Sales Oliveira possui poucos milharais, plantados em pequenas propriedades, que também se sustentam essencialmente da venda do produto. O restante da palha é trazido de outros municípios, principalmente dos estados de Goiás e Minas Gerais.

O processo de colheita é lento, feito de forma manual. Do contrário, a palha é danificada.

Uma média de 20 pessoas trabalha nas diversas etapas da produção, garantindo a alta qualidade do produto e seguindo o rigoroso padrão que tornou o produto de Sales Oliveira, destaque em todo o país.

Fonte: Guia Turístico, Histórico e Cultural de “Sales Oliveira – 100 anos”.

 

PALHA TRANSFORMADA EM ARTE

ARTES PLÁSTICAS

Kalá

Atílio Passaglia, ou Kalá, como é mais conhecido em Sales Oliveira, sempre trabalhou com a palha de milho. Foi palheiro na região e em Minas Gerais, atuando na produção artesanal de palha para confecção de cigarros, originários desse vegetal. Foi então que percebeu que as sobras poderiam dar bons resultados em trabalhos artísticos.

Fez casebres, caminhões, rios, flores, animais, trabalhadores rurais, árvores suntuosas e floridas. Retrata também o desmatamento, as plantações de milho, o modo de vida do salense. Tudo com palha tingida, cabelos de milho e terra.

Dono de diversos prêmios, Kalá abusa da originalidade, demonstrando em suas obras autodidatismo e criatividade.

 

ARTESANATO

Empregada na confecção de bolsas, utensílios, móveis e objetos decorativos, a palha de milho, proporciona condições ao artesão de criar várias alternativas no aproveitamento dessa excelente fibra.

 

 

 

 

 

CIGARRO DE PALHA

Aqui, o cigarro é feito de forma artesanal, desde a colheita, (porque a máquina salva os grãos, mas dilacera a palha), até a sua finalização. De cada 25 toneladas de milho, tiram quatro de palha, que é umedecida por um dia num caixote de madeira, cortada, dobrada e embalada. Até hoje, nenhuma tecnologia foi incorporada, só a prensa de alisar. O Brasil inteiro compra, mas a palha de Sales já foi vista em tabacarias de Paris e em Roma, na Piazza Navona, frequentada por intelectuais que as enrolam com fumo para cachimbo.

Fonte: Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeirão Preto